American Blonde Ale

Se você for em qualquer bar dos EUA, você encontrará uma versão de American Blonde Ale escondida no meio de inúmeros taps de IPAs. Mas ela não é a queridinha dos cervejeiros, uma pena! Pois é uma cerveja leve, refrescante e que cai muito bem no verão.

Por isso, os Lamas que adoram divulgar a cultura cervejeira, criaram uma receita de American Blonde Ale para você brassar e tomar na beira da piscina com os amigos. E ainda para facilitar ainda mais a vida do cervejeiro, você encontra os kits prontos de 5L e 20L.

American Blonde Ale no BJCP

Cerveja artesanal americana, fácil de beber com sabor de malte aparente e com notas com características de frutas, lúpulos e malte. Super bem balanceada e limpa sem notas agressivas.
A American Blonde Ale é produzida por várias micro cervejarias e brew pubs, particularmente aqueles que não conseguem produzir estilos lagers. Variações podem existir, mas geralmente este estilo é desenvolvido para ser a cerveja mais leve do tap. Muitos brew pubs oferecem a blonde ale como alternativa às American Lagers.

Ingredientes tradicionais
Geralmente usa-se só malte de cevada, mas pode-se usar até 25% de malte de trigo e as vezes alguns adjuntos de açúcar. Qualquer lúpulo pode ser utilizado e para a levedura, um fermento de perfil limpo americano, ou um levemente frutado inglês ou até a levedura de kölsch. E pode até ser feito com fermento para lager e ser acondicionado em baixas temperaturas. Algumas versões tem mel, especiarias e frutas, mas nunca em primeiro plano.

Chega de papo, vamos ao que interessa, a receita da nossa American Blonde Ale!

American Blonde Ale dos Lamas

Características
OG: 1,047            FG: 1,013
ABV: 4,5%          EBC: 6,6
IBU: 17,2
Temp. Fermentação: 19 º C
Temp. Maturação: 10 º C

Ingredientes
4,0 kg Malte Pilsen
0,2 kg Malte Caramalt ou Carablond
25 g Lúpulo Willamette
1 sachê Fermento Mangrove Jack´s US West Coast M44
1 potinho de Priming

Passo a Passo

Mosturação

1) Aqueça entre 22 a 25 litros de água na panela de brassagem até 72ºC; Ao alcançar a temperatura desejada, despeje o malte moído vagarosamente. 2) Mantenha a temperatura por 68ºC durante 60 minutos. Sempre que ligar o fogo para subir a temperatura agite a mistura de água+malte (mosto) com a ajuda de uma pá/colher. Com o fogo desligado não há necessidade de agitação. 3) Terminados os 60 minutos, deixe o mosto descansar por 10 minutos (com fogo desligado).
4) Pela torneira da panela de brassagem retire um pouco de mosto e retorne ele para a panela, fazendo a recirculação do mosto. Repita este processo por 10-15 minutos, até notar que o mosto esteja mais cristalino.
5) Após a recirculação, abra a torneira da panela de brassagem e despeje o mosto em outra panela ou em um balde.
6) Neste ponto pode-se seguir por dois caminhos:  Se o volume de mosto após a filtragem ficar entre 18-20 Litros você deve “lavar” mais o mosto com água quente (a 78ºC) até atingir um volume de 22-24L. Se o volume após a filtragem ficar entre 22-24L não há necessidade de lavagem.
Neste ponto a densidade do mosto deve estar um pouco abaixo da OG desejada. Não se preocupe, pois na fervura o volume será reduzido e a densidade subirá. Dica: ter um densímetro ou refratômetro ajuda a controlar seu processo.

Fervura

7)  Com a mosto filtrado já na panela de brassagem (sem o fundo falso ou bazooca), suba a temperatura até o mosto ferver. Não tampe a panela durante a fervura.  Deixe o mosto em fervura por 60 minutos
8) Após o início da fervura adicionamos o lúpulo Willamette (25g).
9)  Passados 60 minutos da fervura desligue o fogo.
10)  Aguarde 5 minutos e faça whirlpool. Este processo pode ser melhorado com a adição de uma pastilha de whirlfloc 15 minutos antes do fim da fervura). Aguarde 5 minutos para os resíduos decantar. Se você medir a densidade agora ela estará muito próxima do indicado na receita.

Resfriamento

11)  Resfrie o mosto com um chiller a uma temperatura abaixo de 30ºC.
12) Com o mosto resfriado transfira-o para o fermentador, deixando o trub no fundo da panela e inocule a levedura.
Dica: Será melhor para a fermentação hidratar a levedura antes de inocular. Para hidrata-la, ferver 100 mL de água e deixar esfriar a baixo de 30°C. Despeje o fermento e deixar hidratando por 30 minutos (Você pode fazer isso enquanto ferve o mosto).

Fermentação

13) Assim que inocular o fermento, tampe e deixe fermentando por uma semana à 22ºC (Caso não tenha como controlar a temperatura, a fermentação pode ocorrer à temperatura ambiente). No final da fermentação deve-se ter atingido a FG desejada.

Maturação

14) Após a fermentação, retire o fermento do fermentador e inicie a maturação por mais 10 dias em geladeira (por volta de 10ºC).
15) Após a maturação é possível ainda ter um resto de fermento, descarte ele antes de iniciar a etapa de refermentação.

Envase e Carbonatação

16) Pegue o Priming de Açúcar Invertido dos Lamas (1 pote para 20L de cerveja) adicione-o no maturador (sem o fermento, pois você ja purgou o fermento). Homogeneize ele com a cerveja, levemente, mexendo. Após isso, é só encher as garrafas e tampar.
17) Guarde as garrafas de cerveja por 5 a 7 dias (em temperatura ambiente) até formar gás.  Depois disso basta colocar as garrafas para gelar e aproveitar.

Espero que gostem! E deixe nos comentários sua opinião para esse estilo que ninguém dá muita bola.

Boas Cervejas!

 

Fernanda Puccinelli Autor

Grande apreciadora de cervejas, teve o primeiro contato com cerveja artesanal sendo cobaia das primeiras cervejas feitas pelos Lamas. ;) Depois de uma temporada nos EUA resolveu unir o útil ao agradável e se aprofundar no mundo das cervejas artesanais. Gosta de viajar, cachorros e claro beber e falar sobre cerveja.

Comentários

    luiz claudio

    (9 de fevereiro de 2020 - 19:37)

    boa tarde,

    Achei interessante a receita porém se eu obter 24l de mosto, após a fervura deve ficar uns 18/19l,após resfriamento 16/17l, após fermentação retirada da lama 14/15l após envase 13l. sendo que a receita seria 20l só consiguiria envasar 12/13l. Não seria muito fora do planejado para 20l não?

      Fernanda Puccinelli

      (10 de fevereiro de 2020 - 12:21)

      Olá Luiz Claudio,
      Os resultados variam muito conforme os equipamentos utilizados e os processos de cada cervejeiro, por isso o ideal é adaptar os volumes de água para cada produção. Com essa quantidade de insumos e utilizando nosso equipamento chegamos na OG desejada e aproximadamente 20-21L de mosto já no fermentador. Você pode adicionar mais água na pré-fervura para chegar nesse volume seguindo seus cálculos. Quanto a lama, 2 L é bastante, qual fermentador você usa? Já viu os que vendemos fermentador com torneira anti-sedimento?

    Filipe L.

    (11 de fevereiro de 2020 - 14:49)

    Oi Fernanda, tudo bem?

    Recentemente fiz esta receita e estou no meio do processo de fermentação. Apenas 3 dias depois de iniciado o processo da fermentação foi que me dei conta que meu fermentador não tem torneira (o balde que seria utilizado quebrou). É possível usar a bomba de circulação (como se fosse um sifão automatizado) para puxar o conteúdo para um maturador?

      Fernanda Puccinelli

      (13 de fevereiro de 2020 - 09:24)

      Oi Filipe, tudo bem?
      Olha acredito que sua ideia pode funcionar sim, mas você terá que tomar o maior cuidado para higienizar e sanitizar a bomba e todo o equipamento utilizado para essa transferência e tomar mais cuidado ainda para não transferir a lama para o maturador, pois você pode entupir sua bomba caso ela pegue a lama.
      O método mais fácil e sem riscos de estragar sua bomba é usar um auto-sifão mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *