Diário de Viagem Cervejeiro – Reino Unido

Olá cervejeiros da Manada!! Hoje venho aqui para inaugurar junto com a Natalia uma nova seção no blog da Lamas – O diário de viagem cervejeiro . Se você ainda não leu as dicas sobre a Islândia, clique aqui para ver. Nessa nova seção vamos contar um pouquinho das nossas viagens e dar dicas sobre lugares, cervejas e cervejarias.

Bom, vamos ao que interessa né?

As dicas da minha viagem e as cervejas tomadas. Eu e o Lamas Chico, quem nos acompanha desde 2008 e é das antigas vai saber quem ele é, tinhamos um motivo muito bom para ir ao Reino Unido – o casamento de um casal de amigos ingleses que conhecemos enquanto morávamos nos EUA.

Como o casamento seria no final de Outubro, decidimos pegar um mês de férias e dar um rolê pelo Reino Unido e depois ir para Amsterdã, Bruxellas e Stavanger na Noruega. Mas essas cidades vão ficar para outro dia.

Hoje vamos falar um pouquinho da terra da rainha nesse diário de viagem cervejeiro.

Reino Unido e a programação da viagem

Nossa maior dificuldade foi encaixar o que iríamos fazer entre o casamento e a semana que o Chico teria que trabalhar em Cardiff, capital do País de Gales. Bom, depois de quebrarmos a cabeça, montamos nosso roteiro por terras britânicas e fizemos o seguinte roteiro:
Londres – Cardiff – Bath – Stonehenge – Haslemere – Clitheroe – Manchester

Londres

Em Londres ficamos na casa de um casal de amigos brasileiros, o que nos possibilitou conhecer um pouquinho da vida de quem mora lá e encontrar o novo movimento de cervejas artesanais inglesas. Quem pensa que cerveja inglesa é só Real Ale quente, sem gás, está muito enganado!!!

E começa nosso mochilão pelo Reino Unido

No primeiro dia como estávamos cansados da viagem, fomos à um pub na beira do Rio Tâmisa bem legal e sem turistas – o Mayflower Pub.

No segundo dia agendamos uma visita à fábrica da Fullers! Uma passeio que eu não iria perder por nada, afinal a Fullers ESB é minha cerveja inglesa favorita!! Para quem nunca foi, vale a pena, o passeio é super informativo e passa por toda a fábrica antiga com panelas originais até o maquinário atual. Pudemos conferir até a brassagem de uma London Pride e todo o passeio termina em um tap room onde pode-se experimentar várias cervejas da marca no cask e no keg também.

Livro de Receitas Original
Taproom no final do Tour pela cervejaria

Ainda no mesmo dia fomos encontrar um casal de ingleses bebedores de cerveja. Esse casal conheci através de um amigo americano que manja muito de cerveja – segundo ele, esses ingleses eram os melhores amigos que eu ainda não tinha e realmente, o Dave e a Vikki nos levaram em cervejarias e bares incríveis localizados em Hackney Wick, um bairro que está se tornando muito conhecido pelo movimento craft beer.

Visitamos um brewpub ou como eles chamam, Tank bar chamado Howling Hops . O lugar é muito agradável com mesas gigantes para sentar e a cerveja sendo retirada direto dos tanques. Tomar IPA mais fresca, impossível!

Depois no mesmo quarteirão fomos para o Crate Brewery, um brew pub super charmoso a beira do Rio Lea.

Muitas opções de cervejas

Continuando no nosso pub crawl, fomos à um bar que é de uma distribuidora de cervejas, o Beer Merchant Tap. Lá encontramos muitas opções. Eram geladeiras e mais geladeiras de cerveja, separadas por escolas cervejeiras, além de 20 bicos no tap e 2 casks.

On tap

E por fim a pérola da noite, saímos do bairro Hackney Wick e fomos para um pub chamado Pride of Spitalfields no bairro de Spitalfields. Um pub pequeno, super antigo com somente pessoas locais sentadas à volta de um piano e cantando como se não houvesse amanhã. Já podem imaginar né que esse bar é o exemplo de bar Lamas!! E uma curiosidade: dizem que um dos suspeitos de ser o Jack estripador tomava cerveja lá.

Maltaria Muntons

No terceiro dia na Inglaterra, não foi bem em Londres e sim em Stowmarket. Alguém adivinha o que tem nessa cidadezinha a 1 hora de trem? Acertou quem disse Muntons!!! Fui conhecer a maltaria e ver de perto todo o processo de fabricação do malte desde a chegada da cevada até o empacotamento dos pallets de malte. Um dia extremamente produtivo!!


E o dia ainda não acabou, voltando de Stowmarket parei no Whole Foods em Londres, isso mesmo, parei no supermercado para tomar breja e quanta breja boa.

Diário de Viagem – Cardiff

Terminados os meus dias na capital inglesa, parti de trem para Cardiff, capital do país de Gales e lá eu já tinha 2 pontos certos para tomar breja, a cervejaria Tiny Rebel e o pub Hop bunker.
Primeiro fomos ao brewpub da Tiny Rebel, um lugar super legal com várias cervejas no tap e muitas no cask também. E sempre com a pegada lupulada. Acho que a loucura americana por lúpulos estão contagiando a nova geração de cervejeiros britânicos.

Depois fomos ao Hop Bunker, um pub que fica no porão de um prédio e que só serve cerveja no cask, nesse bar não teve jeito, tive que tomar cerveja quente e sem gás. Mas pera lá a cerveja é quente, quente? Não! Ela é em temperatura ambiente, o que lá estava em torno de 15°C. Então ela não é tão quente assim, dá para beber!! E afinal vir ao Reino Unido e não tomar uma Real Ale, é melhor ficar no Brasil, não é mesmo?!

Ficamos uma semana inteira em Cardiff devido ao trabalho do Chico, que é físico. Então aproveitamos tudo que a cidade tinha a oferecer e por sorte trouxemos sol à uma das cidades mais chuvosas do País de Gales. Lá fomos à um show de uma banda inglesa que gostamos muito e claro tinha cerveja, mas para o nosso espanto, descobrimos que em ambientes de show é proibido a venda de garrafas de vidro e lata, então o que tinhamos lá?
Cerveja no copo de plástico? Mas é claro, que não!!! Tomamos cerveja envasada em garrafa Pet, isso mesmo.

A garrafa de breja era um pet. A surpresa dois, foi que aí sim a cerveja estava quente.
O pessoal simplesmente pegava a breja do fardo e te entregava. Não tinha um gelo, uma geladeira para as cervejas. Até a Coca-cola estava gelada e a breja quente. Esse dia foi complicado, conseguimos tomar 2 garrafas e depois partimos para a água.

E para finalizar nossa semana em Cardiff, descobrimos que estava tendo o festival de cerveja galês – Great Welsch Beer Festival & Cider e lá fomos nós para um ginásio lotado de cervejas no cask, sidras e perrys.

Sidras e Perrys

Diário de viagem: de Volta à Inglaterra

Depois de uma semana em Cardiff partimos de volta para a Inglaterra para irmos ao casamento de nossos amigos e até chegarmos na cidade do casamento que era no norte da Inglaterra, fizemos uns pit stops para conhecer pontos turísticos como o banho romano em Bath, o círculo de pedras em Stonehenge.


Um detalhe que nos impressionou muito é o fato das estradas inglesas serem muito movimentadas e com vários pontos de congestionamento.

Manchester


Passado o dia do casório pegamos uma carona até a cidade de Manchester e lá fomos à cervejaria Cloudwater Brew Co. Meu deus, eu não tenho nem palavras para descrever as cervejas que essa cervejaria tem feito. São cervejas sensacionais, sem defeitos, sem modismos e invenções. Simplesmente a melhor cerveja que tomei na Inglaterra.
Lá não conseguimos visitar a fábrica mas fomos ao brew pub que fica no mezanino de um dos galpões da fábrica e de lá tinhamos uma linda visão de inúmeros barris de madeira, onde eles envelheciam sours, stouts e porters.


Infelizmente ficamos apenas uma tarde em Manchester, pois nossa viagem ainda continuaria para Bélgica, Holanda e Noruega. Mas o tempo que ficamos foi suficiente para provar as melhores brejas inglesas da atualidade.

Espero que tenham gostado do meu diário cervejeiro e logo, logo trago notícias da visita à Cantillon e outras aventuras cervejeiras dessa viagem.

Boas cervejas!

Fernanda Puccinelli Autor

Grande apreciadora de cervejas, teve o primeiro contato com cerveja artesanal sendo cobaia das primeiras cervejas feitas pelos Lamas. ;) Depois de uma temporada nos EUA resolveu unir o útil ao agradável e se aprofundar no mundo das cervejas artesanais. Gosta de viajar, cachorros e claro beber e falar sobre cerveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CAPTCHA