American IPA – Sabro

Seja muito bem-vindo (a) ao especial de lúpulo do Lamas Brew Club. Sim, somos todos aficionados por lúpulo, esse ingrediente que mexe com nossos sentidos de tantas maneiras. O lúpulo para quem faz cerveja é um mundo à parte, que vai muito além do amargor, aroma, dry-hopping ou frescor. Para aprender um pouco mais, é claro que não poderíamos escolher outra receita que não fosse a American IPA, estilo que surgiu na Califórnia e tem como principal característica o aroma e sabor de lúpulos, com uma base de malte para dar suporte a tanto amargor e aroma, mas nunca sobressaindo, sempre estando em segundo plano.

Essa é a segunda edição do Especial de Lúpulo e preparamos uma receita que irá ser uma verdadeira explosão de aromas complexos.

Venha com a gente desbravar esse mundo complexo e viciante!

História do Lúpulo Sabro

Na primeira edição do especial de lúpulo, falamos um pouco da história do lúpulo, como ele foi introduzido na cerveja, como foi o desenvolvimento tecnológico ao longo dos anos e sobre os lúpulos do novo mundo.

Nessa nova edição onde utilizaremos o poderoso lúpulo Sabro para produzir uma American IPA complexa e com uma explosão de aroma, vamos contar a história sobre uma variedade de lúpulo que nem todo mundo conhece: o lúpulo neomexicanus.

Todos sabemos que o lúpulo é definitivamente o principal ingrediente do movimento das cervejas artesanais americanas. Mas praticamente  todas as variedades de lúpulos cultivados nos Estados Unidos são de origem europeia. Os Americanos não tinham um verdadeiro lúpulo americano até o ano de 1991, quando Todd Bates descobriu uma variedade de lúpulo selvagem que crescia nas montanhas secas do Novo México.

Esta subespécie única ofereceu aos cervejeiros norte-americanos a primeira oportunidade de fabricar cerveja com o que atende à definição de lúpulo americano puro, pois o neomexicanus não segue sua herança de volta à linhagem européia de lúpulo. As raízes da neomexicanus não apenas são profundas no oeste americano, mas também personificam perfeitamente o espírito cervejeiro americano: selvagem, indisciplinado e sempre ultrapassando os limites da fronteira.

Curiosidade: Tanto o nome de origem latina (lúpulo) quanto o de origem anglo-saxônica (hop) fazem alusão ao comportamento da planta, que “escala” árvores para crescer. Lúpulo, do latim lupulus, significa pequeno lobo e recebeu esse nome pelo comportamento voraz da planta que podem escalar outras plantas e árvores, estrangulando-as. Já hop, do anglo-saxão hoppan, significa escalar.

Ao contrário de sua prima europeia, a neomexican, por ser de origem de uma região que não tem praticamente árvores para serem escaladas, apresenta um comportamento totalmente diferente e produzi-las é um desafio para as fazendas de lúpulo americano. São feitos vários testes com as mudas e muito direcionamento e normalmente somente 1 a cada 3 consegue vingar e subir as varas da plantação. Por sorte os norte-americanos são realmente apaixonados por lúpulo e não desistiram de cultivar essa variedade tão impressionante.     

Características da Receita

Uma American IPA equilibrada com o amargor e aromas intensos, graças aos lúpulos com alta carga de óleos essenciais.

OG: 1061     FG: 1010

IBU: 56,7   ABV: 6,9%     EBC: 12

Técnicas Utilizadas

O lúpulo SABRO (ou HBC 438 como era nomeado na fase de testes) é a mais nova sensação no mundo dos “hop lovers”. Isso porque a complexidade do seu aroma cítrico e de frutas impressiona. O Sabro é resultado de uma única polinização cruzada de plantas fêmeas da variedade neomexicans.
É um lúpulo fortemente expressivo que traduz seu poder conferindo um aroma impactante na cerveja.
Perfil do Aroma: Cítrico, Coco, Frutas tropicais, Frutas com Caroço (pêssego, ameixa, nectarina) e herbal.

Principais óleos essenciais do lúpulo Sabro:

  • Caryophyllene: Aroma amadeirado
  • Humulene: Aroma de pinus, amadeirado
  • Myrcene: Aroma de lúpulo fresco, resinoso, verde

Técnicas de Lupulagem

First Wort Hopping: Esta técnica de lupulagem consiste em adicionar o lúpulo antes do início da fervura, assim que o mosto é separado dos grãos. Utilizamos essa técnica para obtermos cervejas mais redondas, com maior qualidade de amargor.

Fervura Late addition:  é adição de lúpulos no final da fervura, conferindo aromas e sabor à cerveja. Geralmente é feito faltando entre 15 a 10 minutos para o final da fervura.

Dry hopping: Adição de lúpulos depois do resfriamento do mosto. Pode ser feito no final da fermentação ou na maturação, mas estudos mostram que os melhores resultados são obtidos quando feito na maturação.

Vantagens de Ser Assinante Lamas Brew Club

Fazendo parte do club, o cervejeiro sempre terá:

  • Receitas inéditas e completas para fazer em casa;
  • Desafios cervejeiros a cada ciclo do clube;
  • Análise sensorial da amostra de cerveja completamente grátis;
  • Participando do concurso, o cervejeiro tem a chance de concorrer a uma Grainfather® (equipamento automático para fabricação de cerveja) que é sonho de consumo de muitos cervejeiros caseiros.
  • Descontos exclusivos no site e nas lojas físicas da Lamas Brew Shop na compra de insumos e equipamentos;
  • Brindes diferentes a cada ciclo;

E aí ficou curioso com essa receita? Veja como adquiri-la no site do Lamas Brew Club.

Fernanda Puccinelli Autor

Grande apreciadora de cervejas, teve o primeiro contato com cerveja artesanal sendo cobaia das primeiras cervejas feitas pelos Lamas. ;) Depois de uma temporada nos EUA resolveu unir o útil ao agradável e se aprofundar no mundo das cervejas artesanais. Gosta de viajar, cachorros e claro beber e falar sobre cerveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *